Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

JESUS CRISTO MERECE OS MELHORES HOMENS PARA PREGAR A SUA CRUZ



Por Charles H. SpurgeonEncontrei um irmão — eu disse um? Encontrei dez, vinte, cem irmãos quealegavam estar seguros, completamente seguros de que foram chamados para oministério — estavam completamente certos disso por­que tinham falhado em tudomais. Eis aqui uma espé­cie de história modelo: "Sr. Spurgeon, colocaram-me numescritório de advocacia, mas nunca pude agüen­tar a clausura, e não me sentia àvontade estudando direito; evidentemente a Providência obstruiu o meu caminho,pois perdi o emprego". "Que é que você fez então?" "Ora,senhor, fui induzido a abrir uma mer­cearia." "E vocêprosperou?" "Bem, senhor, não creio que eu jamais pretendesse ocomércio, e Deus pare­ceu-me vedar inteiramente o caminho ali, pois fra­casseie me vi em grandes dificuldades. Desde essa ocasião ,tive uma pequena agênciade seguros de vida, e tentei organizar uma escola, além de vender chá. Mas omeu caminho está fechado, e algo dentro de mim leva-me a achar que devo serministro."Emgeral a minha resposta é: "É, entendo. Você fracassou em tudo mais, e daíacha que o Senhor o dotou especialmente para o Seu serviço; mas receio que vocêse esqueceu de que o ministério precisa dos melhores homens, e não dos que nãoconseguem fazer nenhuma outra coisa". O homem que teria sucesso co­mopregador, provavelmente se sairia bem como mer­ceeiro, advogado ouqualquer outra profissão. Um mi­nistro realmente de valor seria ótimo emqualquer outra ocupação. Dificilmente haverá alguma coisa impossí­vel para ohomem que mantém unida uma igreja du­rante anos, e que é capaz de edificá-la através de cen­tenasde domingos consecutivos. Tem que possuir algu­mas habilidades, e de modonenhum pode ser um tolo ou um imprestável. Jesus Cristo merece os melhoreshomens para pregarem a Sua cruz, e não os cabeças ocas e os desvalidos.C.H. Spurgeon em: "O Chamado Para o Ministério" - Editora PES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário