Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O CONHECIMENTO DE DEUS E A OBEDIÊNCIA À SUA VONTADE



Todos os crentes labutam na perspectiva de conhecer a vontade de Deus. Esse assunto é tão importante que fez parte da vida de nosso Mestre Jesus Cristo: “porque eu faço sempre o que lhe agrada.” (João 8:29). Mesmo diante da terrível cruz, Jesus declarou em oração: "... não se faça a minha vontade e sim, a tua." (Lucas 22:42). Isso é tão natural que o Senhor Jesus ensinou os seus discípulos a orar: "... faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu." (Mateus 6:10). Mesmo assim, o fato é que não é fácil discernir a vontade de Deus. Os obstáculos que se apresentam à nossa frente, fazem-nos entender que devemos deixar Deus dirigir o nosso caminho, esperar que ele resolva as coisas que esperamos sejam resolvidas. Porém a situação é bem outra e isso não funciona assim. Compreender a vontade de Deus exige um entendimento que não é uma tarefa fácil, pois a Escritura declara: "... os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor" (Is. 55:8). A principal das razões porque é difícil conhecer a vontade de Deus, é o tempo que demora a atingirmos o conhecimento devido. Como é um processo a familiarização com o caráter e propósito de Deus, fazendo com que os seus desejos sejam os nossos, a nossa percepção de Deus só será ampliada à medida que continuamos a estudar a sua revelação na Sagrada Escritura e encontrarmos novas aplicações para nós à medida que amadurecemos na graça e no conhecimento em conformidade com Sua vontade. Mero conhecimento de Deus, no entanto, não é suficiente, pois "... a sabedoria é justificada pelas suas obras" (Mateus 11:19). O propósito último do conhecimento e entendimento é nos levar a obediência. Paulo escrevendo à igreja de Colossos diz que  a finalidade de conhecer a Deus é fazer sua vontade, "... para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Desus." (Colossenses 1:10). A obediência é muitas vezes caracterizada na escritura como algo que frutifica, como uma árvore cujos galhos pesam ​​com frutas, mas cumprem o propósito de sua existência. (Veja Provérbios 11:30, Mateus 7:16 e Colossenses 1:10 ) Jesus, é retrado no evangelho de João como "a videira verdadeira", e Deus é retratado como o agricultor... ele corta os ramos que não dão frutos ... e os que produzem ele cuida bem para que produzam ainda muito mais. (João 15:1,2 ). Em Gálatas 5:22, há uma lista de frutos de bençãos que são produzidos à partir da obediência: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio." Outro exemplo de produção de bençãos de obediência ocorre quando os pecadores são convertidos em fiéis testemunhas de Cristo (Mateus 9:37, Romanos 1:13 e Gálatas 6:9). Jesus especificamente declarou: "Se você me ama, você vai obedecer o meu mandamento." E então, promete "Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecereis no meu amor..." (João 14:15 15:10). Por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor, nós recebemos a graça e o ministério para "... para a obediência por fé, entre todos os gentios." (Romanos 1:5).

Nenhum comentário:

Postar um comentário