Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

sábado, 4 de agosto de 2012

A retidão de Deus


Por: Helio Clemente sua conformidade consigo mesmo, DEUS JAMAIS SE CONTRADIZ   Deus jamais contradiz a si mesmo, jamais executa o que não planejou, jamais age contra sua própria natureza, os Decretos Eternos provém muito justamente da retidão de Deus, toda execução da providência ao longo do tempo foi determinada por Deus na eternidade, e nada é passível de mudança no tempo da execução, esta é a retidão de Deus. Mateus 10,29: “Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai”. A eternidade de Deus se traduz nas qualidades de imutabilidade e impassionalidade, e se refletem na execução da providência ao longo do tempo, que se realiza de maneira exata no tempo previsto e determinado para cada evento, sem possibilidade de mudança ou variação, no sentido de compor cada movimento individual, que por sua vez, se encaixa perfeitamente na globalidade de todos os movimentos previstos no plano divino. Tiago 1,17-18: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas”. A falta de retidão é um problema moral do homem diante de Deus, a provisão para retidão do homem é feita somente em Cristo e somente para os eleitos de Deus. Romanos 6,4: “Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário