Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Celebre a vitória da cruz


Crescemos ouvindo que Cristo morreu numa cruz pelos nossos pecados. Que o sacrifício de Cristo na cruz do calvário traz salvação, vida, mudança de fato. Para outros fomos sempre loucos na própria expressão do apóstolo que diz em I coríntios 1:18 “ Certamente a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” Nem todos entendem estas expressões que muitas vezes fazem parte do vocabulário de quem freqüenta uma igreja. Refletindo sobre a palavra de cruz, convido você a estar avaliando o quanto o poder de Deus pela cruz do Calvário já mudou e influencia a sua vida. Fomos chamados da morte para a vida, das trevas para a luz, para sermos sal da terra e luz do mundo, para fazermos diferença onde estivermos. Vejo hoje novas modalidades de cruzes que vão surgindo e tem feito um estrago muito grande na verdadeira proclamação da palavra. A cruz antiga não fazia barganhas, ela é símbolo de morte, não fazia acordos. A cruz antiga põe fim ao pecador. Ele reconhece que merece morrer, e que aquela cruz que deu cabo da vida de Jesus é a mesma que pôe fim ao pecador e da mesma forma que o poder que levantou Cristo dentre os mortos, também nos levanta, ressuscitando para uma nova vida ao lado de Cristo. A cruz pela qual fomos salvos precisa continuar sendo a antiga cruz de Cristo. O autor A.W. Tozer, no seu livro: Homem, habitação de Deus, diz: “As cruzes novas que se levantam hoje trazem uma nova filosofia de vida cristã. Novas técnicas, novas pregações do evangelho. A nova cruz não se opõe a raça humana, ela é companheira amigável, fonte de muito prazer e diversão. Ela continua deixando o pecador viver sem criar interferências. A sua motivação de vida não sofre mudanças. Deleita-se nos cânticos, mas também se deleitam em qualquer tipo e músicas, mesmo as obscenas. A nova cruz estimula uma abordagem evangelística, que não exige renúncia da vida velha para que se possa receber a nova, que só Deus dá. A nova cruz procura o caminho para o interesse público tentando mostrar que o Cristianismo não faz exigências desagradáveis, e sim uma vida num “nível mais alto”. O apelo é, venha e goze a vida com muita emoção, com paz e prosperidade.” Cuidado, não deixe que esta rede lançada por Satanás todos os dias para milhões de pessoas te enlace. Quem não está em Cristo, está sob sentença de morte. Não há como fugir desta realidade, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus. Quem está em Cristo é nova Criatura, as coisas velhas já passaram, e tudo se faz novo. Creia nisso, a fé Cristã não é paralela com o mundo, ela o secciona com relação ao pecado. O grão de trigo precisa morrer. Os que pregam a palavra não podem se considerar agentes de relações públicas ou comissionados para tornar Cristo aceitável. Não somos diplomatas, mas profetas, e a nossa mensagem não é um acordo e sim um ultimato. Repudie o pecado e as novas cruzes que se levantam todos os dias para acariciar o seu coração e te levar para o inferno. Preguemos e vivamos a velha cruz, loucura para os que se perdem, mas para os que crêem poder de Deus. Que o Senhor continue sustentando ricamente a sua vida no verdadeiro poder de Deus. Reverendo Jonas Zulske. Posts relacionados2012/03/05 -- Estagnação Intelectual – Você ama a Deus com toda a sua mente? (1)2012/03/05 -- Uma atitude de louvar a Deus a todo tempo2012/02/29 -- Por que a Cruz? – John Stott (1921-2011)2012/02/29 -- Odeie o pecado – Thomas Watson (1620-1686)2012/02/28 -- O livre-Arbítrio é Bíblico ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário