Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

terça-feira, 12 de março de 2013

Algumas perguntas para os que creem no "livre-arbítrio", responder.



Primeiro, A soberania de Deus. A liberdade de um soberano é sempre maior que a liberdade se seus súditos. Ou não, estou enganado? Todo o poder do universo é subordinado a ele. Até Satanás não tem poder para agir sem a soberana permissão de Deus. Ou não, será que mais uma vez estou enganado? Se alguma coisa viesse a acontecer à parte de sua soberana permissão, então isso que aconteceu frustraria sua soberania. Se Deus se recusasse a permitir que alguma coisa acontecesse, e acontecesse mesmo assim, então o que quer que a tenha feito acontecer teria mais autoridade e poder do que o próprio Deus. Se existe alguma parte da criação fora da soberania de Deus, então Deus simplesmente não é soberano. Se Deus não é soberano, então Deus não é Deus. Ou qual que você prefere?  Sem soberania, Deus não pode ser Deus. Se rejeitarmos a divina soberania, então deveremos abraçar o ateísmo. É isso que você quer?  Segundo, o problema do mal. Como o mal pode coexistir com um Deus que é inteiramente santo e inteiramente soberano?  Sabemos que o homem foi criado com uma vontade livre e que o homem livremente escolheu pecar. Não foi Deus quem cometeu pecado, foi o homem. Contudo, esse problema persiste. De onde foi que o homem contraiu a mais leve inclinação para pecar? Se ele foi criado com um desejo para pecar, então uma sombra é lançada sobre a integridade do Criador. Se ele foi criado sem nenhum desejo para pecar, então precisamos perguntar de onde veio esse desejo. De onde?  Outros pontos para serem respondidos. Se, de fato, fosse errado para Deus impor a sim mesmo sobre a vontade do homem. A pergunta que o calvinista faz é: "O que há de errado com Deus criar a fé no coração do pecador?" O pecador não pediu para nascer no país em que nasceu, para ser filho de seus pais, nem mesmo para nascer. Também não pediu para nascer com uma natureza decaída. Todas essas coisas foram determinadas pela decisão soberana de Deus. Se Deus faz tudo isso que afeta o destino eterno do pecador, o que poderia haver de errado em ele ir um passo além e garantir a salvação do pecador? Entenda ser livre é uma coisa, ser autônomo é totalmente diferente. Aqui, neste universo nada é autônomo (Lei para si mesmo), ou seja, ninguém faz lei para si mesmo porque se fizesse, não teria decálogo. Se Deus tem criatura autônoma então Deus não é Deus, porque cremos que foi Ele que nos criou e não nós criamos a Ele. A pessoa que quer ser autônoma diante de Deus, é o ópio do mesmo. (ópio:provoca euforia, seguida de um sono onírico; o uso repetido conduz ao hábito, à dependência física, e a seguir a uma decadência física e intelectual, uma vez que é efetivamente um veneno estupefaciente.) Fonte: Trecho (não o de cor vermelha) foi retirado do livre: Eleitos de Deus, Ed. Cultura Cristã. R.C Sproul Escrita de cor vermelha, retirado de um dicionário da internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário