Salmo:119.165;

Salmo:119.165; Grande paz têm os que amam a lei de Deus; para eles não há tropeço.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Adversidades maiores, maior comunhão com Cristo


Faz-se necessário, que o entendimento dos fiéis se elevem ao altíssimo, até onde Deus convida seus discípulos, a que cada um leve a sua cruz (Mt 16.24). Porque todos aqueles a quem o Senhor adotou e recebeu como filhos, devem preparar-se a uma vida dura, penosa, e cheia de todo tipo de mal.Porque a vontade do Pai é exercitar desta maneira os seus, para testá-los. Referindo-se a todos, a começar com Jesus Cristo, seu primogênito. Porque, mesmo sendo seu Filho amado, em quem tem toda a sua complacência (Mt 3.17, 17-5), vemos que não o tratou com presentes, de maneira que podemos verdadeiramente dizer que não só passou sua vida em aflição e cruz perpétua, mas toda ela foi uma espécie de cruz contínua.O apóstolo dá a razão, dizendo embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu (Heb 5.8). Como, pois, renunciar-mos a mesma condição e sorte de Cristo, nossa Cabeça, que necessariamente tudo passou, submetendo-se por nossa causa, para deixar em si um modelo de paciência? Por isto o Apóstolo Paulo ensina que Deus designou como meta de todos os seus filhos serem semelhantes a Cristo (Rm 8.29).Daqui procede o consolo de que ao sofrermos muito, em dificuldades, adversidades e maldades, comuniquemos com a cruz de Cristo, e assim como Ele entrou em sua glória celestial através de um labirinto interminável de males, da mesma maneira acheguemos a ela através de numerosas tribulações (At 14.22). E o mesmo apóstolo fala em outro lugar: que ao aprendemos a participar das aflições de Cristo, aprendemos juntamente com o poder de sua ressurreição, conformando-se com ele na sua morte, preparando para fazer companhia na glória eterna (Fp 3.10).Quão grande eficácia tem para atenuar toda a amargura da cruz, saber que quanto maiores às adversidades de que somos afligidos, tanto mais firme é a certeza de nossa comunhão com Cristo, mediante o qual as mesmas aflições se convertem em benção e nos ajudam a avançar indescritivelmente em nossa salvação!Institución de La Religión Cristiana, por Juan Calvino, libro III, VIII, 01 – traduzido por Carlos ReghineCurta nosso Blog REFORMANDO-ME

Nenhum comentário:

Postar um comentário